Gabriel Barbosa comemorando seu gol Gabriel Barbosa comemorando seu gol

Com quarteto mais próximo, Flamengo parece encontrar o caminho para o crescimento

Rubro-negro volta a ter tabelas vistas com mais frequência no passado

A vitória por 3 x 1 é o mais importante da noite, porém, a aproximação do quarteto de ouro dentro de campo não pode ser deixada de lado. O que se viu no Maracanã foi uma volta ao esquema 4-4-2, mas sempre variando para o 3-5-2 ou 3-2-4-1. Isso provavelmente foi o que levou o Flamengo a reviver bons momentos do passado.

Foi muito possível enxergar as tabelas saindo entre os pilares do ataque rubro-negro. Bruno Henrique, Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gabriel Barbosa juntos e conectados, mostram o quão difícil é parar o Flamengo. Os argentinos sentiram na pele. 

O primeiro gol é a personificação perfeita disso, bola de pé em pé até Arrascaeta sofrer o pênalti. A jogada chegou em Bruno Henrique no meio campo que arrastou para ponta entregando no uruguaio que em apenas dois toques na bola achou Gabriel Barbosa na movimentação, o centroavante de primeira devolveu em Arrascaeta, que protegeu a bola e sofreu choque por trás.

Pênalti que mostrou a aproximação e troca de posição que foi vista constante durante o jogo entre os companheiros de time. Como na jogada do segundo gol. Com direito a passe de efeito no meio campo, o uruguaio tocou de calcanhar quebrando a marcação argentina para Bruno Henrique arrancar, o atacante rubro-negro tentou a devolução, só que a bola foi nas costas do meia, só que como foi dito, a conexão e proximidade fez a diferença. Everton Ribeiro próximo e ligado na jogada, chegou batendo de primeira no cantinho. Sem chances para o goleiro argentino.

O terceiro gol do Flamengo, trouxe para a dança um elemento a mais, o jovem João Gomes. O garoto desarmou, avançou, trombrou e achou Everton Ribeiro na intermediária de calcanhar. O meia acionou Bruno Henrique e agrediu o espaço deixado pela zaga do Talleres, recebendo a bola no ponto futuro do companheiro de frente para o gol. Ali foi só despertar a sua genialidade chutando no único espaço deixado pelo goleiro argentino.

É um indício que o caminho para o treinador Paulo Sousa pode ter sido encontrado, e o urubu tenha encontrado o rumo para voos mais calmos. Agora é esperar as cenas dos próximos capítulos. O Flamengo volta a campo no domingo, às 16h (de Brasília), contra o São Paulo, no Maracanã.

Notícias relacionadas

Mais Notícias

Mais Notícias